Sem citar crise, Dilma diz que fica triste com ''coisa errada''

A presidente Dilma Rousseff evitou ontem o contato com a imprensa durante visita à cidade de Francisco Beltrão, no Paraná, onde lançou o Plano Safra da Agricultura Familiar 2011/2012. Antes do lançamento do plano, ela concedeu uma entrevista conjunta a três rádios locais, que durou 30 minutos, mas em nenhum momento foi questionada sobre a crise no Ministério dos Transportes. O único momento em que fez menção aos problemas enfrentados pelo governo foi em resposta a uma pergunta singela: "A senhora está feliz?". Dilma disse que sim, e elencou dois programas criados pelo governo e seu neto, Gabriel, como os motivos.

, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2011 | 00h00

Mas ressalvou: "Agora, tem dias que eu também fico triste." "Quando?", indagou um repórter. "Quando acontece alguma coisa errada no meu governo eu fico triste. Todo mundo pode perceber que, num governo, tem muitas dificuldades", disse. "Agora, eu acho que o Brasil hoje dá mais alegria do que tristeza." No discurso do lançamento do plano de agricultura familiar, Dilma enfatizou a expressão "herança bendita" para caracterizar os dois mandatos de Lula. / FERNANDO GALLO, ENVIADO ESPECIAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.