Senado aluga carros por R$ 1,7 mi/ano

Casa avalia que manutenção de frota própria fica mais cara; edital propunha valor global de R$ 5,9 milhões, mas ofertas puxaram preço para baixo

Eduardo Bresciani, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2011 | 00h00

O Senado pagará R$ 1,7 milhão pelo aluguel de carros para os 81 senadores pelo período de um ano. O pregão foi realizado ontem e contou com a presença de 36 empresas. Está aberto agora o prazo para recursos das empresas derrotadas. O valor inicial proposto pelo Senado era de R$ 5,9 milhões anuais.

No edital, a Casa estava disposta a pagar até R$ 6,1 mil por mês pelo aluguel de cada carro, que deve ter potência mínima de 140 cavalos, motor 2.0, quatro portas, ar-condicionado, air bags, entre outras exigências. As ofertas das empresas, porém, puxaram o valor para baixo.

Na primeira rodada, com as propostas em envelopes fechados, foram selecionadas as empresas com as quatro melhores ofertas para a realização de um leilão em busca do menor preço. Entre as selecionadas, a proposta mais alta já era de R$ 2,8 mil mensais para o aluguel de cada unidade.

Desclassificação. Ao fim do leilão, o valor da proposta vencedora ficou em R$ 1.770,00 por veículo/mês. A empresa que apresentou essa proposta, porém, foi desclassificada. A Giro Locadora de Veículos foi reprovada pela equipe técnica do Senado no quesito capacidade financeira.

Segunda colocada, a empresa Rosário Locadora de Veículos Ltda, que tem o nome fantasia de Connecta, cobriu a proposta da concorrente e foi considerada apta. A Connecta tem 14 anos de atividade, possui 600 veículos e atende a outros órgãos públicos, como Ministério de Ciência e Tecnologia e governo do Distrito Federal.

A Giro anunciou que vai recorrer de sua desclassificação, enquanto outros concorrentes questionaram a capacidade técnica da Connecta de alugar carros executivos nos moldes que o Senado deseja.

Economia. A justificativa do Senado para alugar carros para os senadores é que a manutenção de frota própria representa um custo maior. De acordo com o primeiro-secretário, Cícero Lucena (PSDB-PB), somente com uma oficina terceirizada que presta serviços para a Casa os gastos são de R$ 360 mil mensais. Com o aluguel, essa responsabilidade passa a ser do fornecedor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.