Senado aprova projeto que exclui da herança herdeiro considerado indigno

Projeto de lei reforça texto que exclui da herança aquele que provocou ou tentou provocar a morte do dono do patrimônio ou de pessoa a ele intimamente ligada

Rosa Costa, O Estado de S. Paulo

16 Março 2011 | 18h12

BRASÍLIA - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira, 16, em caráter terminativo, substitutivo do senador Demóstenes Torres (DEM/GO) ao projeto de lei da senadora Maria do Carmo Alves (DEM/SE) que reforça dispositivo do Código Civil que exclui da herança aquele que tiver provocado ou tentando provocar a morte do dono do patrimônio ou de pessoa a ele intimamente ligada.

 

O texto também deserda aqueles que tiverem, sem justa causa, abandonado ou desamparado economicamente o dono da herança ou ainda os que, por violência ou qualquer meio fraudulento, inibam ou impeçam o autor da herança de dispor livremente de seus bens como ato de última vontade.

 

Demóstenes Torres afirma que a proposta vem suprir uma lacuna na atual legislação, no que diz respeito à ação de indignidade nos casos de herança.

 

Como a aprovação se deu em caráter terminativo, o projeto poderá seguir direto para a Câmara dos Deputados sem ser examinado no plenário do Senado - caso não haja recursos de pelo menos oito senadores.

Mais conteúdo sobre:
Senado Projeto de Lei herança CCJ herdeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.