Serra sugere que concorrentes podem ter feito acerto entre eles

Candidato defende suspensão dos contratos e investigação das denúncias sobre [br]irregularidades

Anne Warth / AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2010 | 00h00

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, defendeu ontem a suspensão dos contratos assinados pelo governo de São Paulo no dia 20 para a construção de lotes da linha 5 (lilás) do Metrô na capital paulista.

De acordo com Serra, é preciso investigar as denúncias de irregularidades. "Já não há mais licitação porque o contrato foi assinado na semana passada, mas (o contrato) teria de ser suspenso. Tem algo rolando e acho que o governo estadual deveria promover uma investigação suspendendo o andamento", afirmou após reunião com deputados da bancada do PV na Assembleia que declararam apoio à sua candidatura.

Serra sugeriu que pode ter havido "entendimento" entre as construtoras que venceram a licitação e lembrou que o Metrô suspendeu o processo em abril deste ano e mandou as empresas concorrentes refazerem os preços. A decisão ocorreu três dias depois que o jornal Folha de S. Paulo registrou os nomes dos vencedores em cartório.

Alegações. Em visita ao Rio, Serra destacou que já não era mais governador de São Paulo quando foi feita a licitação. O tucano apresentou a carta de desligamento do cargo no dia 30 de março e sua publicação no Diário Oficial ocorreu no dia 2 de abril.

"Direcionamento não houve. Pode ter havido acordo de construtoras. Creio que o governador Goldman vai instaurar investigação, incluindo o Ministério Público, para ver se houve acordo entre empresas", disse. "Foi feita uma licitação, cancelada porque os preços não eram bons para o Estado. A outra concorrência teve preços mais baixos. O interesse do Estado foi defendido. É importante que seja bem esclarecido." / COLABOROU LUCIANA NUNES LEAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.