1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Sinal de wi-fi é testado na praça Dom José Gaspar

Mateus Coutinho - O Estado de S. Paulo

01 Agosto 2013 | 18h 28

Houve problemas para acessar a rede e autoridades admitiram que é preciso velocidade maior

A cerimônia de abertura do sinal de internet wi-fi na Praça Dom José Gaspar, realizada nesta quinta-feira pela Secretaria de Serviços da prefeitura de São Paulo, deixou a desejar. Durante a coletiva de imprensa para anunciar um teste de conceito do Projeto Praças Digitais, que prevê wi-fi aberto em 120 praças da capital, várias pessoas enfrentaram dificuldades para utilizar a internet. Na ocasião, as próprias autoridades admitiram que a velocidade precisa ser maior para atender as demandas da proposta e lembraram que a iniciativa é apenas um primeiro teste para a licitação que está sendo elaborada.

“A tendência é ter que aumentar o link”, destacou o professor de Políticas Públicas da Universidade Federal do ABC e um dos responsáveis pelo teste junto à prefeitura, Sérgio Amadeu de Silveira. De acordo com ele, o ideal seria disponibilizar 100 Megabites na praça, que atualmente conta apenas com 34 Mb (a velocidade é dividida pelo número de usuários que utilizam a internet) . Graças a uma parceria temporária com a prefeitura, a empresa Idea instalou o ponto na praça e está disponibilizando a internet para testes até que a licitação seja concluída.

Com a aglomeração de pessoas para a coletiva de imprensa, o sinal da internet oscilava e nem todos conseguiam abrir páginas de internet pelos smartphones. Ainda assim, o secretário de Serviços e responsável pelo Praças Digitais, Simão Pedro, agradeçeu a presença da imprensa, de hackers e de ativistas. Um representante da Mídia Ninja também estava no local gravando via iphone e transmitindo pela internet. Amadeu, que foi interlocutor da coletiva, chegou a perguntá-lo se estava conseguindo fazer a gravação, e o membro da Mídia Ninja confirmou que o sinal estava funcionando.

Mesmo prometendo não abrir mão da qualidade e estabilidade do sinal, Simão Pedro admitiu que vai ser um desafio para a cidade garantir isso. “Não conhecemos totalmente a estrutura de cabos e de rede da capital”, afirmou. Além de Simão Pedro, os secretários de Cultura, Juca Ferreira; e de Direitos Humanos, Rogério Sottile, compareceram ao evento para destacar a importância do Projeto Praça Livre. “Estamos vivendo uma fase de revitalização do espaço público”, destacou Juca Ferreira.

A velocidade da internet será monitorada pelo Sistema de Medição de Tráfego de Última Milha (Simet), que mede a velocidade em tempo real e disponibiliza para a população no link http://simet-publico.ceptro.br/history/SimetBox.html?idCookie=f8d1117f5732. Além disso, os usuários poderão enviar seus comentários e sugestões pelo Twitter: @wi_fi livre, ou pelo Facebook: Wi-fi_Livre

A expectativa é de que o sinal continue liberado pela Idea até a conclusão da licitação que, atualmente, está na fase de consulta de preços, quando a prefeitura faz um levantamento dos custos para se ter o sinal nas praças. Para o teste que vem sendo realizado na Praça Dom José Gaspar, a empresa Idea alega ter investido cerca de 42 mil reais. A expectativa, segundo a prefeitura, é de que o pregão seja iniciado em cerca de 30 dias.

Questionado pela reporagem, o representante da Idea presente no evento alegou que a empresa teria interesse em participar da licitação, caso isso seja possível.