Sindicância vai apurar contratação de falso militar no Rio

Homem se passava por tenente-coronel do Exército e foi exonerado por falsidade ideológica

Solange Spigliatti, Central de Notícias

18 Outubro 2010 | 12h40

SÃO PAULO - A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro vai abrir hoje uma sindicância interna para apurar as circunstâncias da contratação de um homem que fingia ser tenente-coronel do Exército. Carlos da Cruz Sampaio Júnior foi preso pela Subsecretaria de Inteligência na última quinta-feira e exonerado por falsidade ideológica e porte ilegal de arma, segundo a pasta.

A sindicância vai analisar os dois períodos em que Carlos trabalhou na secretaria: de 2003 a 2006 e de julho a outubro deste ano, quando foi contratado para a função administrativa na Subsecretaria de Planejamento e Integração Operacional. Carlos foi descoberto durante investigação interna de todos os novos funcionários do órgão. Por ser filho de militar, teve facilidade para falsificar os documentos que apresentou quando foi contratado.

O secretário José Mariano Beltrame também vai solicitar ao Comando Geral da PM que instaure procedimento semelhante com o objetivo de esclarecer o envolvimento de Carlos com a corporação, inclusive as denúncias, feitas pela imprensa, de que ele participou de treinamento de policiais. A sindicância interna correrá paralelamente ao inquérito em curso na 4ª Delegacia de Polícia (Central do Brasil), segundo a secretaria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.