SP tem 46 radares em operação, concentrados nas zonas sul e oeste

Ipem homologa equipamentos na Nações Unidas e na Giovanni Gronchi

Naiana Oscar, O Estadao de S.Paulo

28 Outubro 2008 | 00h00

A Prefeitura de São Paulo instalou 80% dos radares fixos que havia prometido pôr em operação até o fim do mês. Desde sábado, 46 equipamentos do tipo registram infrações em 25 ruas. Mais da metade está em vias das zonas sul e oeste. A Secretaria Municipal de Transportes anunciou que em novembro 59 equipamentos estariam funcionando. A primeira previsão da Prefeitura não foi cumprida. O secretário de Transportes, Alexandre de Moraes, afirmou, em 30 de setembro, que 40 radares seriam instalados em sete dias. A meta, no entanto, só foi atingida neste fim de semana, com a publicação no Diário Oficial da localização de mais 10 equipamentos: nas Avenidas Marquês de São Vicente, Olavo Fontoura, Gastão Vidigal, Francisco Morato, Giovanni Gronchi e Nações Unidas. Para que a fiscalização seja válida, os radares, depois de instalados, precisam passar pela vistoria do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem). Segundo a Prefeitura, essa avaliação teria atrasado o processo, porque não pode ser realizada em dias de chuva. Depois de passar pelo crivo do Ipem, a CET é comunicada e a lista publicada no Diário Oficial. Só a partir disso é que os radares estão aptos a multar. No último mês, por conta do fim do contrato, a fiscalização eletrônica ficou desfalcada na cidade. A empresa que prestava o serviço desligou os equipamentos quando o contrato expirou, sem que a vencedora da nova licitação tivesse iniciado a instalação dos radares. Com a mudança, a Prefeitura estima economizar R$ 7,6 milhões. Os novos aparelhos fixos fazem parte de uma licitação que prevê a instalação de 175 equipamentos, divididos em quatro lotes. A empresa Splice é responsável por três deles, com 123. Nesse total, estão os 59 radares que devem entrar em operação até o fim do mês. Outros 52, segundo a Prefeitura, serão instalados até o fim do ano. Eles vão fiscalizar ruas da zona leste e do centro. O problema é que o contrato ainda não foi fechado, por impasse judicial. Além dos equipamentos fixos, a capital conta com 136 registradores fotográficos de infrações aos semáforos (Refis) e 100 lombadas eletrônicas - pelo novo contrato, haverá 153 delas nos próximos meses. Até agosto, a CET contava ainda com 26 radares móveis. Mas eles também deixaram de operar porque o contrato acabou. EQUIPAMENTOS EM OPERAÇÃO Marginal do Tietê (expressa) antes da ponte da Casa Verde, sentido Castelo; Marginal do Tietê (expressa) antes da Ponte do Limão, sentido Ayrton Senna; Marginal do Tietê (expressa), na Ponte da V. Guilherme, sentido Ayrton Senna; Marginal do Pinheiros (expressa), km 5 e km 11,5, sentido Castelo Branco; Marginal do Pinheiros (expressa) antes da Ponte do Morumbi, sentido Castelo; Av. dos Bandeirantes com Praça Francisco Patti, sentido Imigrantes; Av. Ibirapuera, na altura dos números 1.777, 3.170 e 3.388 , nos dois sentidos; Av. Francisco Morato, próximo da Rua Dráusio, nos dois sentidos; Av. Giovanni Gronchi, perto da Praça Vinícius de Morais, nos dois sentidos; Av. das Nações Unidas, na frente do número 7.203, sentido Castelo; Av. Rubem Berta, após o Viaduto Indianópolis, sentido centro; Av. Moreira Guimarães, na altura do número 770, sentido bairro; Av. Indianápolis, próximo da Alameda dos Sorimãs, sentido Ibirapuera; R. Sena Madureira, próximo da Praça Kenichi Nakagawa, sentido Ibirapuera; Av. Afonso D?Escragnole Taunay, após o Viaduto Delmanto, nos dois sentidos; Avenida do Estado, próximo da Rua Paulo Barbosa, sentido bairro; Av. Gastão Vidigal, próximo da Rua Major Paladino, sentido Marginal; Av. Gastão Vidigal, próximo da Rua Mergenthaler, sentido Pinheiros; Av. Mutinga, próximo da Rua Domingos Soares, nos dois sentidos; Av. Marquês de São Vicente, próximo do número 2.650, nos dois sentidos; Av. Marquês de São Vicente, na altura do número 2.357, sentido centro; Av. Antártica, no fim do Viaduto Antártica, sentido Pinheiros; Av. Corifeu de Azevedo Marques, perto da Rua Padre Justino, sentido centro; Corifeu de Azevedo Marques com a Rubens Florentino Vaz, sentido bairro; Av. Padre Pereira de Andrade, altura do 500, nos dois sentidos; Avenida Paulo VI, próximo da Rua Atalaia, nos dois sentidos; Avenida Nova Cantareira, na altura do 4.565, nos dois sentidos; Av. Olavo Fontoura, portão 21 do Sambódromo, sentido Marginal; Av. Olavo Fontoura, do lado oposto ao número 650, sentido Marginal; Av. Brás Leme, próximo da Rua Capitão Mor Góis e Morais, sentido bairro; Av. Brás Leme, na altura da Rua Santo Anselmo, sentido centro; Av. Santa Inês, na altura do número 3.200, sentido bairro; Av. Gustavo Adolfo, próximo do número 2.500, sentido bairro; Av. Gustavo Adolfo, próximo do 1.660, sentido centro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.