1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Suspeitos atacam casas de funcionários de presídio no sul de Minas Gerais

Rene Moreira - Especial para O Estado

06 Março 2014 | 18h 23

A polícia investiga se há relação entre os ataques e os assassinatos em Itamonte no mês passado

FRANCA - Pela segunda madrugada seguida, um grupo de suspeitos atacou ônibus e casas no município de Itajubá, no sul de Minas. Um coletivo da empresa Valônia, que estava parado no ponto final da Vila Santa Rosa, foi incendiado e o fogo afetou a rede elétrica causando interrupção no fornecimento de energia a muitos moradores nesta quinta-feira, 6. A polícia investiga a possível relação entre os ataques e as mortes em Itamonte no mês passado.

Outro ônibus já havia sido incendiado na madrugada anterior e casas atacadas com o uso de coquetel molotov. As residências pertenciam a um agente penitenciário e a um diretor de presídio. Depois do ataque, foi deixado um cartaz com a frase "contra a opressão carcerária". Já na madrugada desta quinta-feira, 6, tiros foram disparados contra a residência de outro agente, no bairro Novo Horizonte.

A Polícia Civil investiga se há relação entre os casos e se existe alguma ligação com a morte de dez suspeitos de roubos a caixas eletrônicos em Itamonte, no mês passado. Equipes de Belo Horizonte estão na cidade ajudando nas investigações e, segundo o delegado Regional de Itajubá, Pedro Henrique Rabelo Bezerra, a polícia trabalha com todas as hipóteses.

Ele falou que ainda não há nada que vincule as mortes de Itamonte aos ataques em Itajubá. "Mas isso também está sendo apurado", afirmou ao Estado. O delegado disse ainda contar com a ajuda de setores de Inteligência da polícia.

Tiros. Em Poços de Caldas, também no sul de Minas Gerais, um presídio foi alvo de disparos nesta madrugada. Os agentes penitenciários acionaram a Polícia Militar. Buscas foram realizadas na região, mas ninguém foi localizado.