Temer quer que se espere fim de férias de diretor

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) saiu ontem em defesa de Luiz Antonio Pagot, diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), incluído na lista de demitidos por irregularidades no setor. Em rápida conversa com jornalistas, Temer defendeu a ideia de que a presidente Dilma Rousseff espere os desdobramentos da crise para tomar uma decisão sobre a permanência ou não de Pagot no cargo. "É preciso esperar o fim das férias (dele)", afirmou.

Leonencio Nossa e Tânia Monteiro / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 Julho 2011 | 00h00

Oficialmente, Pagot está em férias até o fim deste mês. Um grupo de auxiliares de Dilma aposta que, até a volta prevista do diretor do Dnit ao trabalho, a crise no setor dos transportes tenha esfriado.

Hoje, não há clima político para o retorno dele à função, observam assessores do governo. No Planalto, há outro grupo que avalia que a permanência de Pagot traria prejuízo político para Dilma. Essa corrente diz que o retorno do diretor do Dnit obrigaria o governo a anular as demais demissões no setor de transportes por suspeitas de irregularidades.

Michel Temer foi a primeira autoridade do Planalto a expor publicamente sua posição sobre o caso Pagot.

Um dia depois de sofrer ameaças de líderes do PR, o Planalto comemorou ontem a costura com o partido que "acalmou" os aliados, revoltados com a demissão de representantes do PR. A negociação liderada pela ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, teria resultado também no esfriamento do depoimento de Pagot no Senado e na Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.