Tenente dos bombeiros é indiciada por morte de aluno após aula de nado

Em curso de formação de soldados em Cuiabá, jovem, de 21 anos, teria sido submetido a afogamentos forçados

Fátima Lessa, Especial para O Estado

22 Março 2017 | 01h01

CUIABÁ - A Polícia Civil em Mato Grosso indiciou a tenente do Corpo de Bombeiros Izadora Ledur de Souza Dechamps por crimes de tortura e castigo contra o aluno do curso de formação para soldados do Corpo de Bombeiros Militar Rodrigo Patrício Lima Claro, de 21 anos, durante aula prática. O fato aconteceu no dia 15 de novembro do ano passado. O aluno morreu cinco dias depois de ter sido internado. O inquérito foi encaminhado à 7ª Vara Criminal de Cuiabá nesta terça-feira, 21.

Segundo as investigações, o aluno passou mal durante aula prática na Lagoa Trevisan, em Cuiabá. De acordo com depoimentos de colegas ouvidos durante as investigações, no dia do ocorrido o aluno sofreu uma sessão de caldos (afogamentos forçados). 

Ainda de acordo com o inquérito, o aluno realizava uma travessia a nado na lagoa. Quando chegou à margem, informou a um instrutor que não conseguiria terminar a aula. Ele foi liberado e retornou pilotando sua moto por cerca de 15 km até chegar ao batalhão. Do batalhão, foi encaminhado a um hospital onde começou a ter convulsões. Familiares denunciaram que ele vomitou ao sair da lagoa e já estava mal. 

O caso também foi investigado pela Corregedoria do Corpo de Bombeiros e Izadora foi responsabilizada pelo crime de maus tratos e por expor a vida ou a saúde de outrem a situação de risco. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, também foi aberto um processo administrativo disciplinar contra a tenente. 

Mais conteúdo sobre:
CUIABÁ Polícia Civil Mato Grosso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.