1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Tigre que atacou menino em zoológico volta para a jaula

Miguel Portela - Especial para O Estado

04 Agosto 2014 | 19h 54

Criança, que teve o braço amputado, continua internada na ala pediátrica do Hospital Universitário de Cascavel

CASCAVEL - Nesta terça-feira, 5, o tigre que atacou um menino de 11 anos voltou a ser exibido aos visitantes do zoológico de Cascavel, região oeste do Paraná. O animal saiu do isolamento na manhã desta segunda, 4, depois de cinco dias fora do seu recinto - na segunda-feira o zoológico fica fechado ao público para manutenção.

De acordo com o médico veterinário do zoológico, Valmor Passos, o tigre ficou isolado desde o ataque ao garoto, que teve o braço direito amputado, na altura do ombro. O acidente ocorreu no dia 30 de julho. "Depois do fechamento ao público, o animal era recolocado na jaula. Foi uma medida preventiva para evitar outro acidente", disse Passos. 

Reprodução
Criança estava em área proibida quando foi atacada

Ele espera que o local retome a sua rotina. "O animal está bem, sem sinais de estresse. Esse acidente atrapalhou a rotina do zoológico por conta da imprudência de um pai", criticou o veterinário. 

Passos disse que o município é o mantenedor do animal e não vê nenhum motivo para retirá-lo do local. "O tigre vai ficar aqui. Recebemos ligações de ONGs do Brasil e de outros países interessados em nos ajudar, bem ao contrário de alguns oportunistas que nesse momento querem apenas ganhar dinheiro com esse fato", desabafou, sem citar quem seriam esses oportunistas. 

Sobre possíveis alterações no recinto dos felinos, o veterinário descartou qualquer reforma. "Não houve mudança e nem haverá porque a estrutura atual está de acordo com as normas técnicas exigidas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente".

Depoimentos. Nesta segunda, havia a expectativa de o delegado Denis Marino, responsável pelo caso, ouvir Marcos do Carmo Rocha, o pai do menino atacada pelo tigre, no inquérito policial instaurado pela Polícia Civil, mas isso não aconteceu. De acordo com o delegado, o inquérito vai esclarecer as circunstâncias do ataque do animal ao garoto.   

Além de Rocha, a polícia também vai ouvir os funcionários do zoológico. "Vamos esperar a conclusão do inquérito para saber qual será o indiciamento do pai do menino", afirmou o delegado. A princípio, Rocha está respondendo ao inquérito por lesões graves. 

Alta. A criança continua internada na ala pediátrica do Hospital Universitário. De acordo com a assessoria do hospital, o garoto vai passar por uma nova avaliação médica nesta terça-feira e, dependendo do resultado, poderá ganhar alta e voltar para a casa em São Paulo.

A assessoria informou que o quadro clínico do menino evolui a cada dia. Ele tem a companhia dos pais e agora de duas tias que também vieram da capital paulista.