TJ analisa prisão de acusado de atropelar ciclistas; há protesto no Twitter

MP e Polícia Civil pediram que bancário seja detido; na web, episódio ganha destaque e é satirizado

Marília Lopes, Central de Notícias

01 Março 2011 | 11h46

SÃO PAULO - A Justiça do Rio Grande do Sul irá analisar os pedidos de prisão preventiva do bancário Ricardo Neis, acusado de ter atropelado pelo menos 12 ciclistas que percorriam a Rua José Bonifácio, no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, na sexta-feira.

 

Veja também:

linkVídeo é destaque em jornais do mundo

linkMotorista se diz 'ameaçado'

 

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça (TJ), ontem foram recebidos dois pedidos de prisão preventiva do bancário, um do Ministério Público e outro da Polícia Civil. A juíza Rosane Ramos de Oliveira Michels, da 1º Vara do Júri de Porto Alegre, irá analisar os pedidos.

 

Web. O vídeo que mostra o grupo de ciclistas sendo atropelado causou comoção e ganhou destaque na internet. No Twitter, foi criada a hashtag #naofoiacidente como forma de protesto, que figurava por toda esta manhã nos primeiros Trending Topics do microblog.

 

Além disso, o veículo usado pelo bancário, um Golf preto, ganhou um perfil na ferramenta (@golfpreto) que satirizava o episódio e as declarações dada sobre o ocorrido. O perfil falso também brincava com os usuários do Twitter para tomarem cuidado, pois ele estava "seguindo-os de perto". "Ligando o motor, cuidado que eu vou passar", dizia uma das mensagens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.