Transportadora diz que carreta estava com manutenção em dia

Motorista, porém, teria afirmado que houve falha no sistema de freios do veículo durante acidente

Miguel Portela, do Estadão,

11 Outubro 2007 | 19h30

O gerente da transportadora Turatto & Turatto, Lourival Silva Junior, garantiu na tarde desta quinta-feira, 11, que a carreta de propriedade da empresa envolvida no segundo acidente em Descanso (SC), na noite de terça-feira, estava com a manutenção em dia. De acordo com ele, o caminhão, que atropelou dezenas de pessoas, passou por uma revisão em uma oficina mecânica em Cascavel (PR), cidade onde a empresa tem sede.    Freios de caminhão não funcionaram, dizem advogados  Cinegrafista morto em acidente ainda tentou ajudar no resgate  Dor e revolta no velório de bombeiros e voluntários  Sai lista dos 27 mortos em duplo acidente em SC   "A manutenção foi feita na segunda-feira (8) antes do motorista viajar, sem apresentar problemas", disse Junior. O gerente conversou com o motorista, Rosinei Ferreira, na quarta-feira no hospital onde está internado em Maravilha (SC). Junior disse que Rosinei relatou que houve falha no sistema de freios. "Ele (Rosinei) disse que acionou o freio, quando viu os carros parados na rodovia, mas o sistema falhou", afirmou.   De acordo com o relato, Rosinei teria visto o aglomerado de pessoas no lado direito da pista, e resolveu jogar o caminhão para a esquerda, onde estavam estacionadas as viaturas de resgate dos bombeiros. "Se não tivesse feito essa manobra a tragédia seria maior ainda", disse o gerente. "Foi uma fatalidade", completou Junior. De acordo com ele, o motorista, que reside também em Cascavel, não deve receber alta médica antes da próxima segunda-feira.   O gerente informou que o motorista, que é evangélico, trabalhava há três meses para a transportadora e era considerado um bom profissional. Rosinei completou nesta quinta-feira três meses de habilitação na carteira "E", para caminhão e ônibus. Junior não crê que o pouco tempo de habilitação na categoria influenciou no acidente, uma vez que o motorista tinha experiência com caminhões trucks , um pouco menor que as carretas.   Desde que obteve a habilitação no Detran/Paraná, em 2002, Rosinei não tem nenhuma infração de trânsito registrada. O caminhoneiro é diácono da Assembléia de Deus e seria promovido a presbítero nos próximos dias e não ingere bebidas alcoólicas.

Mais conteúdo sobre:
Acidente de caminhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.