Tucano do caso Santa Tereza terá foro no STF

No banco dos réus do Supremo Tribunal Federal (STF) há um novo personagem: o deputado Alberto Mourão (PSDB-SP), alvo da Operação Santa Tereza - investigação da Polícia Federal sobre suposto desvio de recursos do BNDES. Ex-prefeito de Praia Grande (SP), deputado pela segunda vez, Mourão foi denunciado pela Procuradoria da República como envolvido em fraudes com dinheiro liberado pelo BNDES para obras contratadas em sua gestão no montante de R$ 130 milhões.

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

24 Março 2011 | 00h00

O deslocamento dos autos para o STF foi decretado pela 2.ª Vara Criminal Federal de São Paulo, que reconheceu o foro privilegiado de Mourão. No STF já tramita inquérito da Santa Tereza no qual é citado outro parlamentar, Paulinho da Força(PDT-SP).

Outros 12 acusados na ação contra Mourão, pelo princípio da conexão, serão processados no STF. "Trata-se de cumprimento da lei", observa o criminalista Antonio Claudio Mariz de Oliveira, defensor do deputado. "Temos absoluta confiança no Supremo, sabemos que lá será feita Justiça, tendo em vista a total improcedência da acusação que consta da denúncia contra Mourão."

Nas eleições de 2010, Mourão obteve 104.433 votos e ficou com a 5.ª suplência da coligação. Com a ida do deputado Silvio Torres (PSDB) para a Secretaria de Habitação do governo Geraldo Alckmin, ele ficou com a vaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.