Vaccarezza defende programa, mesmo se tiver ''cachaça''

Ao responder críticas da oposição de que o reajuste do Bolsa Família foi anunciado para esconder más notícias, o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), destacou que o programa não tem intermediação política e, por isso, o beneficiário pode comprar o que precisa, mesmo se for cachaça. "O cidadão pega seu dinheiro, compra pão para sua família, compra os gêneros de primeira necessidade. Eles (a oposição) brincavam dizendo que o chefe de família ia lá e comprava cachaça. Não vamos incentivar isso, mas mesmo que uma família compre uma cachaça por mês são 12 milhões de garrafas. Isso ajuda toda a economia."

, O Estado de S.Paulo

02 Março 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.