1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Vaticano responde a relatório da ONU e fala em 'acusações ideológicas'

Jamil Chade - O Estado de S. Paulo

05 Fevereiro 2014 | 12h 31

Organização publicou, nesta quarta-feira, 5, informe acusando a Santa Sé de esconder violações aos direitos humanos, como o abuso sexual de menores

GENEBRA - Após ser acusado de violar os direitos humanos e esconder casos de abusos sexual contra crianças, o Vaticano respondeu aos ataques da Organização das Nações Unidas (ONU) e garantiu que vai estudar de forma "minuciosa" os detalhes do informe publicado na manhã desta quarta-feira, 5, pela entidade. A Santa Sé, no entanto, afirma que parte do relatório contém "acusações ideológicas".

O material publicado pela ONU, sem precedentes, também pede uma resposta do Vaticano em relação ao aborto e a casos de homossexualidade.

Em resposta, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, insistiu que a Santa Sé não está de braços cruzados diante das acusações de abusos contra crianças pelo clero. "A Igreja trabalhou e trabalha muito sobre esses assuntos", disse. Ele ainda prometeu que o papa Francisco irá em breve detalhar de que forma atuará para reforçar esse combate.

Segundo ele, nos próximos dias ou semanas o pontífice irá detalhar o funcionamento da comissão que ele criou para investigar os abusos. Lombardi também reafirmou que o papa quer tornar todos os documentos públicos sobre o que pretende fazer.

Para ele, várias das "perguntas ou ataques" seriam ideológicos e uma resposta definitiva para a ONU será um "longo processo".

Em sua avaliação, parte do informe da ONU é uma "tentativa de interferir no ensinamento da Igreja Católica, sobre a dignidade das pessoas e no exercício da liberdade religiosa". Lombardi, nesse caso, se refere às questões envolvendo o uso de anticoncepcionais e aborto.