1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Viatura na Rocinha é atacada pouco antes de plano para prender traficante

Marcelo Gomes - O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2014 | 19h 55

Chefe das bocas de fumo da parte alta da morro, Djalma estava em bar; houve troca de tiros na comunidade

RIO - A Polícia Civil do Rio já sabe que o ataque a uma viatura na Rocinha, na madrugada de domingo, começou uma hora antes do horário planejado para prisão do traficante Luis Carlos Jesus da Silva, conhecido como Djalma, chefe das bocas de fumo da parte alta da morro. Após o carro da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) ser metralhado, houve uma intensa troca de tiros na comunidade.

PMs pretendiam prender Djalma, que estava em um bar, às 4h. Os investigadores querem saber o que levou os criminosos a atacar a viatura uma hora antes. "Ele (Djalma) faria isso sabendo que depois iam encher a favela de policiais e atrapalhar a venda de drogas? Ou aconteceu alguma coisa que não sabemos, ou estamos lidando com um bando de malucos", disse uma fonte da investigação, referindo-se à quadrilha de Djalma.

O governador Sérgio Cabral (PMDB) afirmou que "não tem a ilusão" de que o tráfico desistiu de controlar a Rocinha. "É uma luta e nós vamos avançar com a pacificação." O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, classificou o ataque como uma "afronta".