Visitas de presidentes americanos ao Brasil

FDR:

, O Estado de S.Paulo

19 Março 2011 | 00h00

Franklin Delano Roosevelt, primo de Theodore Roosevelt, veio em 1936, em uma parada no Rio a caminho de Buenos Aires, tendo jantado com Getúlio Vargas e discursado no Congresso. Voltou em 1943, em plena Segunda Guerra Mundial, por causa da Conferência de Casablanca. Passou por Belém e Natal. Em Natal, encontrou-se de novo com Getúlio.

Pós-guerra:

Harry Truman esteve no Rio em setembro de 1947 para participar da Conferência de Petrópolis, que resultou na criação do Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR). Discursou no Congresso, compareceu à parada de Sete de Setembro e foi anfitrião de uma recepção a bordo do USS Missouri.

Herói:

Dwight Eisenhower ficou três dias, em fevereiro de 1960, em Brasília, São Paulo e Rio, em um tour que incluiu também Argentina, Uruguai e Chile. Ao passar pela sede da UNE, no Flamengo, no Rio, viu uma faixa dos estudantes, que dizia: "We like Fidel Castro" ("Gostamos de Fidel Castro"). "Ike" não perdeu o humor e disse ao então presidente Juscelino Kubitschek que também gostava de Fidel. "Ele é que não gosta de mim", brincou. Durante a visita, um avião com a banda da Marinha dos EUA chocou-se com outro da Aerovias, perto do Pão de Açúcar. Sessenta e uma pessoas morreram.

Tensão:

O presidente Jimmy Carter fez em 1978 uma tensa visita a Brasília e Rio de Janeiro, como parte de um tour internacional em direção a Lagos, na Nigéria. A tensão era causada pelo principal ponto da agenda americana à época, a defesa dos direitos humanos, que alarmou a ditadura militar comandada pelo general Ernesto Geisel.

Mancada:

Ronald Reagan marcou sua passagem pelo Brasil - visitou Brasília e São Paulo entre 30 de novembro de 3 de dezembro de 1982 - por uma gafe: uma calorosa referência ao "povo da Bolívia".

Pai:

George H. W. Bush esteve um dia em Brasília, em dezembro de 1990. Foi uma parada em um tour que incluía Montevidéu, Buenos Aires, Santiago e Caracas. Voltou em junho de 1992 para participar de um compromisso internacional: a Conferência Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92).

Felicidade:

Em meio ao affair com Mônica Lewinsky, Bill Clinton incluiu Brasília, São Paulo e Rio em um tour de dois dias. Foi a etapa brasileira de um roteiro internacional onde figuravam também Venezuela e Argentina. O destaque foi a passagem de Clinton pelo morro da Mangueira, onde o cantor Jamelão resumiu o estado de espírito do visitante com a recepção festiva: "Ele está mais feliz que pinto no lixo". Depois da presidência, Clinton voltou como conferencista.

Filho:

George W. Bush ficou um dia na Granja do Torto, em Brasília, em novembro de 2005. De lá, foi direito para o Panamá. Voltou ao Brasil em março de 2007, ficando um dia em São Paulo. Depois seguiu para Uruguai, Colômbia, Guatemala, e México.

OUTRAS VISITAS

Antes da presidência:

Dwight Eisenhower, que fora comandante das tropas aliadas na Europa ocidental na Segunda Guerra Mundial, esteve no Brasil em 1946, quando ainda não era presidente. Na visita, ficou famosa a foto em que Otávio Mangabeira beijava a mão de "Ike", feita por Ibrahim Sued.

Entre a eleição e a posse:

Em 1928, depois de eleito e antes de empossado, Herbert Hoover fez um tour pela América Latina que incluiu uma parada no Rio de Janeiro.

Depois da presidência:

Theodore Roosevelt, após deixar o posto na Casa Branca, participou, em 1913/14, de uma expedição pela selva amazônica com o marechal Cândido Rondon. "Ted", como era conhecido, descreveu detalhes da aventura no livro Through the Brazilian Wilderness.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.