Webjet volta a operar normalmente; passagens voltarão a ser vendidas

Após semana problemática, companhia aérea registra apenas três cancelamentos até as 14 horas

Priscila Trindade, Central de Notícias

01 Outubro 2010 | 15h08

SÃO PAULO - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu não prorrogar a proibição da venda de passagens da companhia aérea Webjet, que registrou atrasos e cancelamentos acima da média durante esta semana em aeroportos de todo o país. A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 1.

 

A venda de bilhetes da empresa para voos programados está suspensa até hoje, dia em que os voos foram normalizados. De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), até as 14 horas, das 68 partidas previstas da Webjet, 3 (4.4%) tiveram atrasos e 3 (4.4%) foram canceladas.

 

Caso o índice de cancelamentos e atrasos se mantivesse, a agência poderia prorrogar a suspensão da venda de passagens. Apesar da liberação, a fiscalização continua.

 

A companhia aérea afirmou que os cancelamentos e atrasos causados desde segunda-feira, 27, são reflexos do forte crescimento da demanda de passageiros em setembro e da redução no número de voos para cumprir a lei número 7.183, que regula os limites de trabalho dos aeronautas. Os passageiros foram reacomodados em outras aeronaves.

 

A partir deste mês, 42 novos funcionários - entre copilotos e comissários - começam a trabalhar nos voos da Webjet. Pelo menos outros 100 funcionários serão incorporados na escala até novembro.

Mais conteúdo sobre:
Webjet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.