1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Zika 'não é um problema olímpico', diz Eduardo Paes

- Atualizado: 29 Janeiro 2016 | 15h 12

Prefeito do Rio afirmou que vírus não vai prejudicar os jogos apesar da recomendação de alguns países de evitarem viagens ao País

RIO - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou nesta sexta-feira, 29, que o zika vírus "não é um problema olímpico", ao comentar o temor internacional relacionado ao Aedes aegypti, e a recomendação de alguns países para que se evite a viagem ao Brasil por esse motivo, em especial no caso de gestantes. 

"Óbvio que a zika é um problema para nós, que moramos aqui, mas não para a Olimpíada. Em agosto, não há incidência do mosquito. Não vai prejudicar e a gente tem que ajudar nesses esclarecimentos. Para o carnaval os índices estão os mais baixos na cidade", disse, em visita aos barracões das escolas de samba do Grupo Especial, na Cidade do Samba.

Agentes fazem ação contra o 'Aedes' no sambódromo do Rio
Fábio Motta/Estadão
Combate ao 'Aedes'

Agentes da Secretaria municipal de Saúde fizeram uma operação de combate ao mosquito da dengue no sambódromo, no início da manhã de 26 de janeiro

No local, a reportagem do Estado verificou a existência de alguns locais com acúmulo de água parada, o que propicia o surgimento de focos de Aedes.

O prefeito foi questionado pela reportagem da emissora inglesa BBC sobre zika e respondeu que "se as pessoas que vierem ao Rio tomarem as precauções óbvias não enfrentarão problemas".

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB)

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB)

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em BrasilX