1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Anac notifica Beija-Flor por uso de drone na Marquês de Sapucaí

- Atualizado: 10 Fevereiro 2016 | 21h 08

Utilização de aeronave precisa ser autorizada pela agência; Portela também terá de explicar uso de paraquedistas na avenida

Anac pede explicação a Portela sobre uso de paraquedista em desfile no sambódromo

Anac pede explicação a Portela sobre uso de paraquedista em desfile no sambódromo

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) instaurou processos administrativos para apurar supostas irregularidades cometidas por duas escolas de samba do Grupo Especial do carnaval que desfilaram na Marquês da Sapucaí, no Rio. A Beija-Flor de Nilópolis foi notificada por uso de drone não autorizado e a Portela, pelo lançamento de paraquedistas.

Durante o desfile da Beija-Flor, na noite de domingo, 7, um drone foi usado no apoio técnico mas, como o uso do equipamento pela escola não foi solicitado à Anac, a agência abrir processo administrativo contra a escola. A Beija-Flor e o operador responsável pelos equipamentos serão ouvidos.

Escolas desfilam no 1° dia de Carnaval no Rio
Wilton Junior/Estadão
Estácio de Sá

Desfiles no Rio começam com sambódromo cheio; leia mais aqui

A operação desses equipamentos sem o Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE) e em áreas densamente povoadas é proibida pela Anac. O infrator estará ainda sujeito a ações de responsabilidade civil e penal.

Paralelamente, outro processo administrativo foi aberto para apurar as condições em que foi feito o lançamento dos paraquedistas durante o desfile da Portela, na segunda-feira, 9. O piloto em comando deve possuir habilitação e verificar a capacidade da aeronave usada, além de atender aos requisitos específicos para o salto em período noturno, entre outros fatores.

Além disso, deve informar ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), do Comando da Aeronáutica, sobre a ocorrência do procedimento para que seja expedido um comunicado de voo.

A atividade de lançamento de paraquedistas é exclusiva de empresas de táxi-aéreo ou operadores privados formalmente vinculados a clubes ou entidades aerodesportivas, executando, neste caso, atividade aérea não remunerada.

Ano passado. No carnaval de 2015, a Anac notificou a Portela pelo uso de drones no desfile sem a autorização devida e também abriu apuração para verificar em que condições foi realizado o lançamento dos paraquedistas na avenida. Os processos estão em curso na agência. Neste ano, o desfile da Portela também contou com um drone, mas a escola pediu autorização, que foi concedida.

Escolas do grupo especial desfilam no 2º dia no Rio
MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO
Unidos de Vila Isabel

Na concentração do sambódromo do Rio de Janeiro, a escola Unidos de Vila Isabel se prepara para iniciar o segundo dia de desfiles do grupo especial no no Rio de janeiro

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em BrasilX