EFE/Paulo Maia/Cortesia da SOS Aves
EFE/Paulo Maia/Cortesia da SOS Aves

Aves: as novas vítimas das balas perdidas no Rio

Três animais foram resgatados com ferimentos de tiros; diretor de ONG diz que nunca tinha recebido pedido de resgate desse tipo

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2017 | 18h48

Três aves de duas espécies em risco de extinção foram resgatadas no Rio depois de serem feridas por balas perdidas. Os animais se recuperam en um centro especializado. 

As aves feridas são um gavião carijó e dois falcões peregrinos, que receberam o impacto de uma bala no peito e estão sendo atendidos em um abrigo para animais silvestres da ONG SOS Aves e Cia em Saquarema, a cerca de 100 quilômetros ao norte do Rio, explicou o ambientalista Paulo Maia.

"Os três estão em estado crítico", explicou Maia, que afirmou ainda que, em seus trinta anos como ambientalista, nunca tinha recebido "uma chamada de resgate de animais vítimas de balas

perdidas".

As três aves foram encontradas no sábado e no domingo no Leblon, zona sul da cidade, bairro próximo à favela da Rocinha, onde são comuns os tiroteios entre traficantes e policiais.

Maia, diretor e presidente da SOS Aves e Cia, lamentou "o nível de violência tão grande" a que chegou o Rio, que além das pessoas, também afeta os animais.

"As balas disparadas eram dirigidas a algum lugar mas acabaram tocando as aves", lamentou o ambientalista, que se disse "surpreso" com os três casos.

O gavião carijó pode ser encontrado entre o México e o norte da Argentina e habita savanas, montanhas e florestas. Já o falcão peregrino, que tem o tamanho de um corvo, é considerado o animal mais rápido do mundo. /EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Saquarema

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.