WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Contraventor Rogério Andrade é alvo de atentado no Rio

Atirador mirou o sobrinho do bicheiro Castor de Andrade, mas atingiu a mulher dele, que está internada

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2017 | 00h08

RIO - O contraventor Rogério Andrade, sobrinho do bicheiro Castor de Andrade (1926-1997), sofreu uma tentativa de assassinato na noite desta segunda-feira, 4, no Itanhangá, bairro nobre da zona oeste do Rio de Janeiro. Alvo de um atirador, ele não se feriu, mas a mulher, Fabíola de Oliveira, foi baleada em um dos braços e encaminhada ao Hospital Barra D’Or, na Barra da Tijuca (zona oeste).

Segundo a polícia, Andrade estava chegando em casa, em um condomínio do bairro, quando um homem começou a atirar contra ele. O atirador conseguiu fugir e não havia sido identificado até a noite desta segunda-feira.

O sobrinho de Castor, que é patrono da escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel, atual campeã do carnaval do Rio, é apontado como herdeiro de parte dos negócios de Castor no jogo do bicho e em máquinas caça-níqueis. Ele já foi acusado de crimes como formação de quadrilha, corrupção ativa e contrabando, e sofreu pelo menos dois outros atentados. 

Em 2010, o carro dele, um Toyota Corolla blindado, explodiu enquanto trafegava pela Barra da Tijuca, causando a morte de duas pessoas: Diogo Andrade, então com 17 anos, filho do contraventor, e um segurança dele. Andrade também estava no carro, mas conseguiu sobreviver - ele fez uma cirurgia plástica para reconstituir a face.

O contraventor já havia sido alvo de outro  atentado, em 2001, quando um atirador escondeu-se na casa da então namorada de Andrade para tentar matá-lo a tiros. Esse plano também falhou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.