1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Delegado atira e atinge homem após audiência em juizado no Rio

Fábio Grellet - O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2014 | 22h 39

Henrique Pessoa se disse ameaçado por grupo de fiéis de uma igreja que o recebeu aos gritos; tiro acertou homem de 29 anos

RIO - O delegado Henrique Pessoa, da 79ª DP (Jurujuba), atirou e atingiu um homem na porta do 5º Juizado Especial Cível, dentro de uma galeria de Copacabana, na zona sul do Rio, por volta das 16 horas desta quarta-feira, 3. Segundo a Polícia Civil, o delegado move uma ação contra o pastor Tupirani Lores, da Igreja Geração Jesus Cristo, situada no Santo Cristo, na região central do Rio. Pessoa alega estar sendo perseguido pelo pastor e pede indenização por danos morais.

Ao fim da audiência desta quarta-feira, um grupo de fiéis dessa igreja aguardava o delegado na porta do Juizado e teria recebido Pessoa aos gritos. Sentindo-se ameaçado, ele tirou o revólver, apontou para o chão e atirou, segundo a versão apresentada à polícia. O tiro ricocheteou e atingiu Carlos Gomes, de 29 anos, no abdome.

Gomes foi levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea (zona sul), e não corre risco de morte. Seu estado é estável, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo a Polícia Civil, a Corregedoria Interna da instituição está acompanhando o caso. O delegado ainda pode ser preso em flagrante por tentativa de homicídio. 

Perseguição. Conforme a polícia, Henrique Pessoa afirma que começou a ser perseguido pelo pastor e por fiéis da igreja após ter investigado um ataque praticado por Tupirani contra um centro espírita no Catete (zona sul). Ele estaria sendo alvo de ataques à honra por meio de redes sociais e por isso move cerca de dez ações contra pessoas ligadas à igreja.