Thiago Lontra/Alerj
Thiago Lontra/Alerj

Grávida baleada na cabeça tem melhora; estado do bebê se agrava

Michelle Ramos da Silva Nascimento foi atingida durante uma tentativa de assalto em Belford Roxo; ela respira sem aparelhos

Akemi Nitahara, Agência Brasil

16 Janeiro 2018 | 17h01

RIO - O quadro de saúde de Michelle Ramos da Silva Nascimento, de 33 anos, baleada na cabeça no sábado, 13, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, apresentou melhora. Ela estava grávida de 8 meses e foi atingida durante uma tentativa de assalto. Michelle continua internada no Hospital Geral de Nova Iguaçu.

+++ Grávida é baleada na cabeça na Baixada Fluminense

Segundo o hospital, o quadro clínico de Michelle vem apresentando melhoras. “Na manhã desta terça-feira, 16, a medicação que mantém o coma induzido foi diminuída e a paciente já respira sem ajuda de aparelhos. O quadro permanece grave, porém estável”, informou o hospital.

+++ Promotor do Gaeco e a mulher são encontrados mortos no Rio

O bebê, que nasceu de uma cesariana de emergência, também no sábado, apresentou uma piora no quadro clínico nas últimas horas. “Ele permanece internado na UTI neonatal da Maternidade Municipal Mariana Bulhões, respirando com ajuda de aparelhos. O estado de saúde é gravíssimo”, segundo a nota divulgada pelo hospital.

+++ Brasileiro morto na Venezuela é velado em Manaus

Michelle deu entrada na unidade de saúde, também conhecida como Hospital da Posse, no sábado e foi submetida a uma cirurgia para descompressão craniana. As equipes médicas de pediatria e obstetrícia avaliaram a paciente e optaram por realizar a cesariana no mesmo momento da cirurgia neurológica. O bebê foi transferido de ambulância com UTI móvel para a maternidade.

No domingo, o diretor do hospital, Joé Sestelo, disse que o bebê terá sequelas em decorrência do trauma. O marido de Michelle, Wallissom Araújo, disse acreditar em milagre e pediu que todos orem pela saúde dela e do bebê, que se chama Antônio e é o primeiro filho do casal. /AGÊNCIA BRASIL

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.