Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Brasil

Brasil » Menino de 13 anos quebra imagens santas na Baixada Fluminense

Brasil

Divulgação

Menino de 13 anos quebra imagens santas na Baixada Fluminense

Evangélico, adolescente derrubou propositalmente representações religiosas e afirmou a fiéis que a Bíblia repudiava os objetos

0

Constança Rezende,
O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2016 | 12h56
Atualizado 27 Janeiro 2016 | 20h44

RIO - Um adolescente de 13 anos quebrou na terça-feira, 26, duas das três imagens sagradas da Catedral de Santo Antônio, no centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O ataque teria sido motivado por intolerância religiosa. O agressor, que estava acompanhado da mãe, a costureira Cláudia Santana de Souza, é frequentador da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e, segundo parentes, costuma ler a Bíblia e assistir a novelas e filmes religiosos o dia inteiro.

Depois de abordar fiéis com a argumentação de que a Bíblia repudia a adoração de santos, o adolescente derrubou propositalmente as imagens de Nossa Senhora Imaculada Conceição e do Sagrado Coração de Jesus, que ficavam a cerca de 2 metros de altura. Os santos ficaram destruídos. Um crucifixo de bronze também foi avariado.

De acordo com o padre Renato Gentile, vigário geral da igreja, profissionais em recuperação de estátuas disseram que os danos são irreparáveis. As peças tinham cerca de 60 anos, mediam 1,5 metro de altura e eram feitas de gesso e madeira.

“Queremos comprar duas iguais, mas imagens com 1,50m de altura só são feitas sob encomenda. O prejuízo sentimental é muito maior. Alguns fiéis choraram, outros não conseguiram dormir direito”, disse o padre, que pediu a policiais para o menino não ser encarcerado em abrigo de menores infratores.

Segundo o funcionário Marcelo Saneto, do setor administrativo da catedral, não estava sendo rezada missa no momento da ação. O menino ainda tentou quebrar a imagem principal da igreja, de Santo Antônio, mas não conseguiu alcançá-la.

“O pai e o irmão chegaram pouco depois. Disseram que ele não tinha problemas psicológicos, brigaram com ele. O adolescente respondia o tempo todo que tinha visto em novelas e filmes evangélicos que adorar imagens era errado e não demonstrava arrependimento”, disse Saneto.

Proibição. De acordo com um homem que disse ser parente da família, e não quis se identificar, o jovem, fã da novela Dez Mandamentos (TV Record), está proibido de assistir a vídeos e programas evangélicos. O parente afirmou ainda que os pastores da igreja que o menino frequenta foram avisados do que aconteceu. “Toda a família é evangélica, mas ninguém é radical. Isso é culpa de pastores que não entendem que crianças levam tudo ao pé da letra. Eles devem ensiná-los a ter respeito por outras religiões”, afirmou.

Ainda segundo o parente, o adolescente vive em uma família estruturada. “Ele será acompanhado pelo Conselho Tutelar. A mãe vai procurar um psicólogo na Defensoria Pública.”

O caso foi registrado na 62.ª Delegacia de Polícia (DP), em Duque de Caxias. No depoimento, acompanhado da mãe, o adolescente disse estar arrependido. Ele responderá por crime análogo a dano ao patrimônio.

Frequentadora há 23 anos, a fiel Fernanda Nascimento disse nesta quarta-feira, 27, que ainda não conseguiu entrar na igreja. “Não tive forças, as imagens representavam muito para mim. A igreja hoje está num clima triste, parece que morreu alguém. Entendo que foi uma criança, mas não imagino meu filho fazendo isso”, lamentou ela.

A Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) não se manifestou sobre o episódio até as 20 horas desta quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.