Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Novo tiroteio no Pavão-Pavãozinho assusta moradores após semana violenta

Na manhã deste sábado, os tiros podiam ser ouvidos a seis quadras de distância da comunidade

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2017 | 10h15

RIO – O morro Pavão-Pavãozinho, no bairro de Copacabana, zona sul do Rio, voltou a ser palco de um intenso tiroteio na manhã deste sábado. Os tiros podiam ser ouvidos a seis quadras de distância da comunidade, como testemunhou a reportagem. O barulho das rajadas começou por volta das 8h30. Moradores estavam assustados nas ruas do bairro e fizeram relatos nas redes sociais.

Na última quarta-feira, 28, cinco pessoas ficaram feridas e duas pessoas morreram durante confrontos entre policiais militares e criminosos no Pavão-Pavãozinho. O porteiro Fábio Franco de Alcântara foi atingido por estilhaços de uma granada durante um confronto entre policiais militares e criminosos na entrada do morro.  Assustada com a troca de tiros, a moradora da comunidade Elisangela Gonçalves teve um mal súbito e não resistiu. No mesmo dia um jovem morreu baleado na Rocinha, no bairro de São Conrado, também na zona sul carioca.

“A bala comendo novamente em Copacabana. Infelizmente está virando rotina!”, postou uma moradora na página Copacabana Alerta, no Facebook. A postagem foi seguida por 49 comentários de moradores dando testemunhos similares e reclamando do aumento da violência no bairro.   

Segundo o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão-Pavãozinho, uma viatura foi atacada por criminosos na manhã deste sábado, enquanto fazia  patrulhamento na Rua Saint Roman, que dá acesso à comunidade. Neste momento o Batalhão de Ações com Cães (BAC) realiza uma operação no local. Procurada pelo Estado,  a coordenadoria da UPP ainda não informou se há feridos ou não. 

Mais conteúdo sobre:
Copacabana Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.