Carlos Magno/Polícia Civil/Divulgação
Carlos Magno/Polícia Civil/Divulgação

Pai, mãe e filha são assassinados na região metropolitana do Rio

Wagner da Silva Salgado, advogado e diretor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Gonçalo, chegou a ser socorrido e morreu no hospital

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2017 | 12h28

RIO - Uma família - pai, mãe e filha de 9 anos - foi assassinada em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, na madrugada desta sexta-feira, 17. Wagner da Silva Salgado, de 42 anos, Soraya Gonçalves de Resende, de 37, e a filha deles, Geovanna, foram executados dentro de casa, no bairro Barro Vermelho.

Salgado, que é advogado e diretor de eventos da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no município, chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Geral de Colubandê e morreu em seguida. 

A investigação ficará a cargo da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG). A polícia informou que “perícia e um minucioso trabalho de investigação foram realizados no local e outras diligências estão em andamento para esclarecer o crime e identificar sua autoria.”

Segundo o presidente da OAB/São Gonçalo, Eliano Enzo, Salgado trabalhava havia mais de um ano como diretor da subseção. “Ele era advogado cível, nunca quis entrar na área criminal. Não era o que ele gostava de fazer. A gente não tem nem pista do que pode ter acontecido aqui. Ele era filho único, então também não acreditamos que seja alguma coisa envolvendo parentes”, afirmou, referindo-se à possibilidade de o crime estar relacionado à atividade do advogado.

A presidência da OAB-RJ pediu à Secretaria Estadual de Segurança rapidez nas investigações. “Acabo de receber a estarrecedora notícia do assassinato do diretor da subseção de São Gonçalo e sua família. Já estou em contato com o secretário para pedir atenção total na investigação do crime bárbaro. A Ordem se solidariza com a advocacia local na pessoa de seu presidente, Eliano Enzo. Não vamos descansar enquanto esse crime não for esclarecido”, disse, por meio de nota oficial, o presidente da seccional RJ, Felipe Santa Cruz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.