1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

PM do Rio troca comando sem conseguir modernizar a tropa

- Atualizado: 04 Janeiro 2016 | 19h 53

Coronel Alberto Pinheiro Neto entrega cargo sem pôr em prática projetos; coronel Edison Duarte dos Santos Júnior assume

RIO - Um ano após tomar posse com um discurso de modernização da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o coronel Alberto Pinheiro Neto entregou neste domingo, 3, o comando da corporação sem conseguir efetivar as principais medidas que propôs, como o projeto de controle do uso da força e criação da carreira única, que permitiria um soldado chegar a coronel. No seu lugar, assumiu o coronel Edison Duarte dos Santos Júnior.

"Muitos especialistas depositaram confiança nesta equipe que estava no comando. Acho decepcionante que eles saiam sem implementar o projeto de uso controlado da força, que estava em cima da mesa deles há meses. A polícia do Rio é a que mais mata e mais morre no Brasil", criticou a socióloga e pesquisadora Julita Lemgruber, ex-diretora-geral do sistema penitenciário do Estado do Rio de Janeiro.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), participou da cerimônia de transmissão de comando da Polícia Militar, realizada no Batalhão de Choque, no Estácio

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), participou da cerimônia de transmissão de comando da Polícia Militar, realizada no Batalhão de Choque, no Estácio

Julita Lemgruber argumenta que o projeto reunia o que há de mais moderno utilizado pelas melhores polícias do mundo. "Certamente houve resistências internas a essas mudanças. Na Assembleia Legislativa foram feitos vários discursos contrários às modificações", afirmou.

Pinheiro Neto entrega o cargo com tiroteios diários entre policiais e bandidos, inclusive em áreas de Unidade de Polícia Pacificadora (UPPs). Apenas nos quatro primeiros dias do ano, cinco policiais foram baleados no Estado. 

O novo comandante, o coronel Edison Duarte dos Santos Júnior, vinha chefiando a Coordenadoria Especial de Assuntos Olímpicos. O oficial chefiará a corporação no ano dos Jogos Olímpicos do Rio com a experiência de ter coordenado, entre 2009 e 2013, a preparação da PM para atuar na Copa das Confederações e na Jornada Mundial da Juventude, que teve a presença do papa Bento 16 - ambos eventos em 2013.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em BrasilX