Presa condenada por morte de padre italiano em 1998

Leo Comissari foi assassinado a tiros, dentro de um carro, em frente à sua casa, em São Bernardo do Campo; Patrícia Bicalho foi detida em Niterói, no Rio de Janeiro

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2017 | 19h42

RIO DE JANEIRO - Condenada pela morte do padre italiano Leo Comissari, Patrícia Dias Bicalho, de 42 anos, foi presa neste sábado, 17, no Rio de Janeiro. Policiais da 11ª DP (Rocinha), prenderam a foragida da Justiça do Estado de São Paulo quando ela visitava Reginaldo da Silva Cruz Neto, interno do presídio Ismael Sirieiro, em Niterói, na região metropolitana do Rio, onde ele cumpre pena por roubo.

O padre Comissari tinha 56 anos quando foi assassinado a tiros, em 1998, dentro de um carro, em frente à sua casa, no município de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O padre foi o primeiro de uma equipe de religiosos de Ímola, na Itália, a chegar na região e a atuar em favelas, em 1978. Comissari criou a Pastoral da Criança e ficou conhecido pela aproximação da militância de trabalhadores durante os movimentos grevistas do fim da década de 70, no ABCD paulista, segundo reportagens publicadas na época do assassinato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.