Quatro policiais militares são baleados no Complexo do Alemão

Quatro policiais militares são baleados no Complexo do Alemão

Dois estão internados em estado grave; somente neste ano, 107 agentes foram mortos no Rio, segundo a Secretaria de Segurança

Sergio Torres, O Estado de S. Paulo

09 Dezembro 2014 | 07h41

RIO - Embora alertada pela programa Disque-Denúncia, a Polícia Militar não conseguiu impedir que criminosos atacassem a tiros policiais lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do complexo do Alemão (zona norte) na noite desta segunda-feira (8). Quatro PMs foram baleados, três deles depois de o aviso ter sido passado à PM e ao comando das UPPs.

O alerta do Disque-Denúncia foi divulgado às 19h, três horas e meia antes do ataque. Foram baleados os soldados Max da Silva, Deivid Ximenez Rodrigues e Daniel de Oliveira Baltar. Atingido no peito, Rodrigues está internado no Hospital Central da PM. Seu estado é considerado  grave.

O informe passado ao Disque-Denúncia por telefone acusava a quadrilha de traficantes da Favela Nova Brasília de estar se preparando para atirar contra os PMs da UPP. 

Menos de duas horas antes já ocorrera um confronto na favela, que resultara na prisão do suspeito Jaílson Pereira da Silva, com drogas e uma bomba artesanal, e em ferimentos no sargento Hércules Barcelos, que teve as pernas perfuradas por estilhaços.

No momento, o Alemão segue com a vigilância reforçada por policiais de UPPs, do Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). O acidente e os tiroteios foram registrados na 22.ª Delegacia de Polícia, na Penha, zona norte. 

Dados oficiais da Secretaria de Segurança do Estado do Rio indicam que somente este ano 107 policiais foram mortos no Rio, dos quais 89 em horário de folga e 18 em serviço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.