Santos Dumont fecha e quase 60% dos vôos são cancelados

Aeroporto do centro do Rio está fechado desde às 6 horas devido às fortes chuvas na capital fluminense

Fabiana Cimieri, do Estadão,

24 Outubro 2007 | 12h31

O Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio de Janeiro, continuava fechado no fim da manhã desta quarta-feira, 24, e 58,3% dos vôos previstos até às 12 horas tinham sido cancelados. O aeroporto estava fechado para pousos e decolagens desde às 6 horas devido ao mau tempo na capital fluminense. Os vôos da ponte aérea Rio-São Paulo eram desviados para o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, que registrava 13 atrasos até às 12 horas.   Com chuva e túnel bloqueado, Rio tem trânsito caótico nesta 4ª Túnel Rebouças é fechado após deslizamento na zona sul do Rio  Prefeitura do Rio recomenda que população não saia de carro Previsão é que chuva continue por 48 horas no Rio Imagens do caos no Rio    Em São Paulo, o Aeroporto de Congonhas registrava atrasos superiores a uma hora em 19 vôos, o equivalente a 18,6% dos 102 vôos programados até às 12 horas. No Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, a situação era tranqüila e as operações eram feitas sem restrições, segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Em todo o País, 78 dos 822 vôos programados tinham atraso superior a uma hora.   Apesar dos atrasos e dos cancelamentos no Rio de Janeiro, o terminal do Aeroporto Tom Jobim estava praticamente vazio nesta manhã. "Acho que as pessoas souberam que estava fechado ou não conseguiram chegar. Quando fui fazer o check-in, já atrasado, soube que era o terceiro passageiro do meu vôo, que está lotado, a chegar", disse Paulo Guilherme de Oliveira, de 28 anos, engenheiro da Petrobras.   Oliveira aguardava um vôo para Macaé, no norte fluminense. "Minha namorada e minha mãe já ligaram várias vezes pedindo para eu não ir. Ainda terei de pegar um helicóptero para a plataforma. Estou torcendo para que o vôo seja mesmo cancelado e possa ir amanhã", afirmou.   Ao contrário do engenheiro, a atriz Érika Mader não temia voar com o tempo chuvoso. Ela aguardava no saguão um vôo da Varig para São Paulo. "Não tenho medo, acho que é tranqüilo", afirmou. (Colaborou  Fabiana Marchezi, do estadao.com.br)

Mais conteúdo sobre:
chuva no Rio aeroportos Santos Dumont

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.