Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE

Torcedor morre baleado após confusão em Vasco x Flamengo

Outros três deram entrada em hospital por ferimentos causados em confronto

O Estado de S. Paulo

09 Julho 2017 | 02h46

 

Um torcedor do Vasco, atingido por uma bala no tórax após o jogo contra o Flamengo em São Januário, faleceu na noite deste sábado (8) na capital fluminense. O homem, que não teve sua identidade revelada, foi levado ao hospital Souza Aguiar, na região central do Rio, mas já chegou sem vida ao local.

Há ainda três outros feridos após a batalha generalizada entre policiais e torcedores vascaínos dentro e fora do estádio de São Januário. Dois deles foram atigidos na perna por projéteis, enquanto um se feriu com estilhaços após tentar se proteger.

A confusão começou o fim do clássico, vencido pelo Flamengo por 1x0. Torcedores vascaínos, indignados com a campanha da equipe no campeonato brasileiro, atiraram pedras e rojões contra o gramado, sendo contidos pela polícia com bombas de gás. A confusão se estendeu para fora do estádio, gerando os feridos levados ao hospital. Após o jogo, em entrevista coletiva, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, pediu desculpas pelo ocorrido em nome do time.

Após o jogo, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, convocou uma coletiva de imprensa na qual lamentou o episódio. "Eu pedi pra dar esta coletiva basicamente porque eu precisava, como presidente do Vasco, pedir desculpas. O que aconteceu, isso não é Vasco. Isso não é Vasco. Eu tenho certeza que é algo que já estava preparado, isso é algo que vinha sendo feito e, na primeira derrota que tivéssemos aqui em São Januário, isso viesse acontecer. Isso foi premeditado. Isso não é torcida organizada, é grupo político. Normalmente, essas coisas são financiadas por alguém que só visa desestabilizar o futebol", declarou Miranda.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.