Reprodução
Reprodução

Três homens são presos por espancar travesti e irmã no Rio

As duas estavam em uma lotação quando começaram a ouvir comentários homofóbicos e agressivos; travesti reagiu, houve agressão mútua e ela foi espancada 'covardemente', segundo o delegado

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2016 | 11h18

RIO - Três homens foram presos nesta quarta-feira, 14, acusados de espancarem uma travesti e sua irmã, em Santa Cruz, na zona oeste. Cleiton da Silva, Rodrigo Luiz Silva Soares e Jorge Batista Ignacio foram indiciados por tentativa de homicídio.

O crime aconteceu na tarde de domingo, 11, na Rua da Feira. A travesti e sua irmã, que não tiveram os nomes divulgados, estavam em uma lotação quando Soares começou a fazer comentários homofóbicos e agressivos. A travesti reagiu e teve início discussão entre ela e o homem.

De acordo com a polícia, houve "agressões físicas recíprocas" entre os dois. Para se defender, a travesti tomou uma faca de Soares e o feriu. Os outros dois acusados, então, se juntaram a Soares e passaram a espancá-la "covardemente", informou o delegado Daniel Mayr, titular da 36ª Delegacia de Polícia, em nota encaminhada à imprensa.

Pedestres que passaram pelo local fizeram vídeo das agressões. Nas imagens, a travesti aparece já no chão, cercada pelos agressores, e é chutada diversas vezes. Um homem sem camisa a acerta com um pedaço de pau. Sua irmã tenta defendê-la e também é agredida. Várias pessoas assistem à cena, mas ninguém as defende. 

O delegado chegou aos autores das agressões com base nas imagens, que tiveram 4 milhões de visualizações e chegaram a ser publicadas no perfil da 36ª DP (Santa Cruz) no Facebook, com links para denúncia anônima. 

Eles foram identificados na tarde de terça-feira, 13, e tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça. Eles foram presos e "se reconheceram como sendo os agressores" ao verem as imagens do crime, informou a polícia.

Atenção: imagens fortes

Mais conteúdo sobre:
Santa Cruz Soares Facebook Justiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.