Troca de tiros interrompe vacinação contra febre amarela no Rio

Por conta de tiroteio entre policiais e traficantes ocorrido neste sábado na comunidade Parque União, no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro, três centros de saúde locais interromperam a vacinação contra a febre amarela

Fernanda Nunes, O Estado de São Paulo

25 Março 2017 | 19h20

Por conta de um intenso tiroteio entre policiais e traficantes ocorrido neste sábado na comunidade Parque União, no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro, três centros municipais de saúde locais interromperam as vacinações contra a febre amarela, parte da campanha que ocorreu hoje na cidade. Uma pessoa, de nome não identificado, ficou ferida durante o tiroteio e foi socorrida no Hospital Geral de Bonsucesso, na zona norte.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, às 14h30 foram suspensas as vacinações nos centros municipais de saúde Parque União, Samoura Machel e Hélio Smidt. “Após esse horário, foi necessário fechar as unidades por questão de segurança”, informou a secretaria em comunicado oficial.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar afirmou ainda que oficiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) “realizaram operação na comunidade” neste sábado. Foram apreendidas drogas e duas pistolas. O Parque União é um dos locais mais violentos da cidade, onde os tiroteios são recorrentes e os moradores vivem em permanente ambiente de insegurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.