Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Turistas são roubados na saída do aeroporto no Rio

Dois grupos, um de estrangeiros, foram assaltados por homens com fuzis; Estado deve receber 3,4 milhões de visitantes na temporada

Tiago Rogero e Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

08 Dezembro 2014 | 19h25

RIO - No fim de semana em que o governo do Rio divulgou a expectativa de número recorde de turistas neste verão, dois grupos diferentes de visitantes, um deles de estrangeiros, foram assaltados no mesmo ponto da Linha Vermelha, via expressa que dá acesso ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, na Ilha do Governador. Os dois assaltos foram na manhã de sábado, 6, com poucos minutos de intervalo entre um e outro. Num deles, turistas estrangeiros foram rendidos por homens armados com fuzis.

Um ônibus da empresa Top Rio, que prestava serviço para a agência North Side, buscou 38 turistas no Galeão. Por volta de 8h30, criminosos obrigaram o motorista a parar pouco depois do acesso à Linha Amarela, próximo do complexo de favelas da Maré (ocupado desde abril pelo Exército). Os assaltantes fortemente armados obrigaram os estrangeiros a descer do veículo. Rendidas no asfalto, com as mãos na cabeça, as vítimas tiveram as bagagens reviradas e roubadas. 

O caso foi registrado na Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), no Leblon. No fim de semana e nesta segunda-feira, 8, o delegado Alexandre Braga se recusou a falar sobre a ocorrência e as investigações. Disse que a assessoria de imprensa da Polícia Civil divulgaria as informações. A Polícia, por sua vez, se limitou a informar no sábado que está em busca de testemunhas, aguarda laudo da perícia e que “as investigações estão em andamento”. Ontem à tarde, mais de 48h após o crime e novamente questionada, a Polícia enviou a mesma nota.

A empresa Top Rio informou apenas que os turistas eram “italianos ou espanhóis”, grupos com os quais costuma trabalhar.

Arrastão. Por volta de 10h de sábado, no mesmo ponto da Linha Vermelha, as vítimas foram oito turistas de Santa Catarina que desembarcaram no Galeão e eram transportados para a zona sul. “A van parou no congestionamento, um motorista veio na contramão e avisou que estava rolando um ‘arrastão’. Não dava para voltar, vieram os homens armados com pistolas e roubaram os turistas”, disse o dono da Roque Transportes, Marcelo Roque. “Trabalho com isso há 20 anos. Nunca havia acontecido algo assim com um grupo meu”.

Os criminosos levaram dinheiro, celulares e notebooks dos turistas.

Temporada. No domingo, o governo estadual divulgou nota informando que o verão de 2015 baterá “um recorde importante” para o Rio. “Durante a temporada, o Estado tem previsão de receber o maior número de visitantes da história”, afirmou a nota oficial.

De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo (Riotur), que calculou a estimativa de visitantes da capital, são esperados 3,464 milhões de turistas. No verão passado, foram 3,256 milhões e, no anterior, 3,192 milhões.

Viajantes de outros países compõem entre 20% e 25% do total e, de outros Estados brasileiros, entre 75% e 80% - principalmente de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio Grande do Sul. Entre os estrangeiros, os argentinos lideram: 24%, ante 14% de americanos, 7% de franceses e chilenos, cada, e 5% de ingleses.

A Polícia Militar informou que tem um Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas que atua com ciclopatrulhamento em toda a extensão da orla e na Lagoa Rodrigo de Freitas, além de intensificar o policiamento dos pontos turísticos, como Pão de Açúcar, Corcovado, Vista Chinesa, os bairros da Lapa e Santa Teresa, assim como os acessos a cidade, como Pier Mauá, aeroportos e a rodoviária”.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro violência assalto turistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.