Arquivo/Estadão
Arquivo/Estadão

Veja quais são os enredos das escolas de samba do Rio em 2015

Ao contrário do que aconteceu há 50, apenas uma escola decidiu homenagear o Rio de Janeiro na Sapucaí

O Estado de S. Paulo

09 Janeiro 2015 | 23h45

Em 1965, o dia 1º de março, data do aniversário da cidade, caiu na segunda-feira de carnaval, e as agremiações fizeram um pacto de homenagear a cidade, berço do espetáculo que ganhou fama mundo afora. A campeã foi o Salgueiro, que falou da história do carnaval carioca. Neste ano,  apenas uma das doze escolas do Grupo Especial, a Portela, louvará a cidade

Enredos do carnaval 1965 - grupo 1

(por ordem da classificação das escolas)

1. SALGUEIRO - "História do Carnaval Carioca"

2. IMPÉRIO SERRANO - "Cinco bailes tradicionais na história do Rio"

3. PORTELA - "Histórias e tradições do Rio quatrocentão, do morro Cara de Cão à Praça Onze"

4. MANGUEIRA - "Rio através dos séculos"

5. UNIDOS DA CAPELA - "Rio de Ontem e de Hoje"

6. MOCIDADE - "Parabéns pra Você, Rio (4º Centenário)"

7. APRENDIZES DE LUCAS - "Progresso e tradições do Rio"

8. IMPÉRIO DA TIJUCA - "Apoteose ao Rio"

9. UNIÃO DE JACAREPAGUÁ - "Carnaval, alegria do Rio" (rebaixada para o Grupo 2)

10. IMPERATRIZ - "Homenagem ao Brasil no 4º Centenário do Rio" (rebaixada para o Grupo 2) 

Enredos do carnaval 2015 - grupo especial

(por ordem de desfile)

VIRADOURO - "Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça!" (sobre o compositor Luiz Carlos da Vila e a negritude)

MANGUEIRA - "Agora chegou a vez, vou cantar, mulher da Mangueira, mulher brasileira em primeiro lugar!" (sobre ícones femininos da escola e do Brasil)

MOCIDADE - "Se o mundo fosse acabar, me diz o que você faria se só te restasse um dia?"(sobre o apocalipse)

VILA ISABEL - "O maestro brasileiro na terra de Noel... Tem partitura azul e branca da nossa Vila Isabel" (sobre o maestro Isaac Karabtchevsky)

SALGUEIRO - "Do fundo do quintal, saberes e sabores na Sapucaí" (sobre Minas Gerais e sua culinária)

GRANDE RIO - "A Grande Rio é do baralho" (sobre os simbolismos dos baralhos)

SÃO CLEMENTE - "A incrível história do homem que só tinha medo da Matinta Perera, da Tocandira e da onça pé de boi" (sobre o carnavalesco Fernando Pamplona)

PORTELA - "ImaginaRio, 450 janeiros de uma cidade surreal" (sobre os 450 anos do Rio)

BEIJA-FLOR - "Um griô conta a história: um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade" (sobre a Guiné Equatorial)

UNIÃO DA ILHA - "Beleza pura?" (sobre a beleza)

IMPERATRIZ - "Axé, Nkenda! Um ritual de liberdade - e que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz" (sobre o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, África e liberdade)

UNIDOS DA TIJUCA - "Um conto marcado no tempo - o olhar suíço de Clóvis Bornay" (sobre a Suíça sob ótica do ícone do carnaval carioca Clóvis Bornay) 

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.