Parque da Aclimação

Estadão

04 Junho 2012 | 12h20

 Charretinhas para crianças eram uma das atrações na Aclimação

Parque da Aclimação virou um espaço de lazer no fim dos anos 1930. Seu criador foi o médico Carlos José Botelho (1855-1947). Estudante em Paris, ele se impressionou com o Jardin d’Acclimatation – área que incluía zoológico, com aclimatação de espécies exóticas e centro de reprodução, seleção e hibridação de animais. Decidiu então fazer algo parecido no Brasil e, após voltar, comprou na zona sul paulistana o Sítio do Tapanhoin, na Aclimação.

Dono de um currículo invejável, ele foi, entre outras coisas, o primeiro diretor clínico da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o construtor da Escola Agrícola Prática Luiz de Queiroz, em Piracicaba, e, como secretário da Agricultura, Viação e Obras Públicas do Estado de São Paulo, o responsável pelo início da imigração japonesa no Brasil.

Garotinho posa em cima de um camelo no então Jardim da Aclimação

A foto acima mostra uma grande curiosidade da história do Parque da Aclimação: os camelos. Por alguns anos, esses animais fizeram ali a alegria dos visitantes – sobretudo crianças – e, por tabela, de lambe-lambes que ganhavam dinheiro fazendo seus retratos. Como João Lucera, o autor dos dois primeiros retratos deste post, e Carvalho, responsável pela imagem abaixo de uma família. 

 Retrato de uma família feito pelo lambe-lambe Carvalho

Quer ler mais sobre a São Paulo Antiga? Confira o post sobre o Jardim da Luz. Na Lapa, destaque para a foto de família de um antigo comerciante. Outras imagens enviadas por leitores também mostram cartões-postais paulistanos. Confira nos posts Cenários paulistanos e No centro de SP.