Praça da República

Estadão

18 Junho 2012 | 15h31

Garotinhos com roupas iguais posam para lambe-lambe na Praça da República

A Praça da República também já foi um ponto disputado pelos fotógrafos populares. Bem no centro da cidade, era ali, no antigo Largo dos Curros, que os paulistanos se divertiam até o século 19 com touradas e rodeios. Esse mesmo lugar já havia se chamado Largo da Palha, Praça dos Milicianos e Largo 7 de Abril. Em 1889, vereadores tentaram rebatizá-lo de Praça 15 de Novembro, mas, como já existia outro largo homônimo, recebeu enfim o nome atual: Praça da República.

 

Amigos retratados pelo lambe-lambe Guerra

 

Construída segundo padrões de urbanização europeus, em 1894 a praça ganhou o belo edifício de Ramos de Azevedo que por décadas abrigou a Escola Normal Caetano de Campos e hoje é a sede da Secretaria de Estado da Educação. Nos anos 1930, virou palco de manifestações históricas. As mais importantes ligadas à Revolução Constitucionalista. Na noite de 23 de maio de 1932, durante o governo de Getúlio Vargas, uma multidão se concentrou ali e resolveu tomar a sede da Legião Revolucionária, entidade tenentista transformada no Partido Popular Progressista. Foram dispersados à bala. O tumulto deixou quatro jovens mortos. Seus sobrenomes eram Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo. Surgia o M.M.D.C., movimento de papel decisivo na organização da guerra civil iniciada pelos paulistas em 9 de julho do mesmo ano e cuja sigla foi formada a partir das iniciais das vítimas.

 

Mãe e filha em um dos recantos da Praça da República

 

Em meados do século 20, a praça virou ponto de encontro de colecionadores. Principalmente após 11 de novembro de 1956, quando o filatelista Barros Pimentel fundou no local uma minifeira de selos, atraindo também colecionadores de moedas. Anos mais tarde, chegaram artistas plásticos e artesãos. Nos anos 1980, a importância política da República ressurgiu com o movimento Diretas Já! Mas a praça não perdeu sua colorida feira de arte e artesanato dos fins de semana.

Além da Praça da República, havia outros pontos disputados pelos lambe-lambes de antigamente. De alguns deles já tratamos em outros posts deste blog, como o Jardim da Luz e a o Parque da Aclimação. E você? Guarda em casa alguma foto em um desses locais e que vê-la publicada? Basta enviá-la para o e-mail blogalbumderetratos@gmail.com