A agonia de Tancredo. Filhos querem acesso ao prontuário

A agonia de Tancredo. Filhos querem acesso ao prontuário

Edmundo Leite

09 Fevereiro 2012 | 00h36

Os filhos do ex-presidente Tancredo Neves querem ter acesso a informações sobre a doença e o atendimento médico a que ele foi submetido em 1985. A família entrou com pedido de habeas data na Justiça Federal de Brasília para que os Conselhos Federal e Regional de Medicina do Distrito Federal entreguem todas as sindicâncias, inquéritos ético-disciplinares, documentos e depoimentos dos médicos a respeito do atendimento a Tancredo.

O acesso à documentação poderá revelar responsabilidades médicas no atendimento prestado desde o primeiro diagnóstico da doença, em Brasília, até a confirmação da morte, em São Paulo.

Eleito em votação indireta na primeira eleição presidencial após 20 anos de ditadura militar, Tancredo tinha 75 anos e foi internado em 14 de março de 1985, na véspera da posse. Morreu 39 dias depois, em 21 de abril, vítima de infecção generalizada. Em seu lugar assumiu o vice, José Sarney.

Reveja algumas notícias sobre a doença:

O Estado de S. Paulo – 22/4/1985

Siga o Arquivo Estadão: twitter@estadaoarquivo e facebook/arquivoestadao

Mais conteúdo sobre:

José SarneyTancredo Neves