Adriano vive dias de Garrincha no Corinthians

Adriano vive dias de Garrincha no Corinthians

Edmundo Leite

08 Fevereiro 2012 | 18h55

Muitos dirão que os dois são incomparáveis. Mas a situação de Garrincha e Adriano no Corinthians têm muito em comum. Os dois craques chegaram ao time sob desconfiança, mas com carisma e uma longa ficha de serviços pretados ao futebol. E, no caso de Garrincha, essa ficha tinha nada menos que o bicampeonato nas Copas do Mundo de 1958 e 1962 e as atuações magistrais pelo Botafogo. Mas no Parque São Jorge, os dois jogadores, por causa de problemas físicos e questões extra-campo, tiveram apenas algum lampejo do brilho de outrora.

Em 1966, Garrincha e Corinthians pareciam a combinação perfeita. Craque do povo, num time do povo. Mas fez apenas 13 partidas e marcou só dois gols, nas vitórias sobre Cruzeiro e São Paulo.

26/10/1966

"Mané veio para ser a alegria do Corinthians, não foi.
É um homem triste que só vê a bola em treino no Parque São Jorge"

 10/2/1966

"Quando Garrincha chegou por aqui era gordo e ninguém acreditava nêle.
 Apenas os homens que organizavam seu programa de treinos"


04/08/1966

Adriano chegou ao Corinthians também fora de forma, mas encheu a torcida de esperanças. Assim como Garrincha em 1966, em 2011 o jogador ficou bastante tempo sem jogar. E, como Garrincha, se submetia a uma rotina especial de treinamentos. No fim do Brasileirão, mesmo fora de forma entrou no fim de um jogo e marcou um gol fundamental para o título corintiano. Este ano, está às voltas com novos problemas que o impedem de jogar.

03/07/2011

08/2/2012

"Sem alternativas para deixar o jogador em forma, médicos e preparadores
 físicos do clube optam por fechar o Imperador; ele tem de perder 5 quilos"


Pesquisa e Texto: Carlos Eduardo Entini e Edmundo Leite
Siga o Arquivo Estadão: twitter@estadaoarquivo e facebook/arquivoestadao

Mais conteúdo sobre:

AdrianoCorinthiansFutebolGarrincha