Afogado no rio Pinheiros

Afogado no rio Pinheiros

rosesaconi

13 de fevereiro de 2011 | 19h43

Terça-feira, 13 de fevereiro de 1911


Nadar no rio Pinheiros era uma prática comum aos paulistanos em 1911. Ele era cheio de curvas e os peixes nadavam em suas águas cristalinas. Era margeado por várzeas, e de seu leito saíam pedregulhos e areia que ajudaram a construir São Paulo. Também era uma grande área de lazer. Atividades como pesca, remo e natação eram ali praticadas todos os dias.

Mas veio o progresso, a necessidade de energia elétrica e a cidade recebeu a Brazilian Traction Light & Power, a Light. Entre 1920 e 1958 o rio perdeu suas curvas e seu curso foi invertido. As várzeas viraram marginais e o rio ficou poluído, sem vida.

Nadar nos dias de hoje no rio Pinheiros pode ser perigoso. Há risco de se contrair doenças graves como leptospirose, febre tifóide, hepatite, entre outras.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Rio Pinheiros

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.