As duas quedas de Palocci, ou “Feitiço do Tempo” de um ministro

As duas quedas de Palocci, ou “Feitiço do Tempo” de um ministro

Edmundo Leite

08 de junho de 2011 | 17h29

Como você imagina a sua vida daqui 5 anos? A pergunta comum em palestras de auto-ajuda, processos de seleção e algumas sessões de psicanálise quase sempre é de difícil resposta. A não ser para aqueles  que têm uma meta muito definida. Entre a maioria, o pessoal do “deixa a vida me levar”, a resposta é quase sempre do tipo “não sei direito nem o que farei amanhã, quanto mais em cinco anos”. A gaiatice da resposta costuma esconder a cruel realidade de que para muitos nada mudará nesse período. Estarão vivendo exatamente a mesma vida de hoje daqui cinco anos.

Se a pergunta fosse feita ao agora ex-ministro Palocci em 2006, provavelmente a resposta seria outra. Naquele íntimo inconfessável, poderia até imaginar-se com a faixa presidencial em 2011. E não eram poucos os que pensavam a mesma coisa. Mas, como naquele filme ‘Feitiço do Tempo‘, em que o Bill Murray acorda todos as manhãs no mesmo dia, Palocci parece ter vivido nas últimas semamas os mesmíssimos dias de cinco anos atrás. A única diferença, como mostram as páginas abaixo (as de 2006 na coluna esquerda; as de 2011, à direita), parece ser mesmo o patrimômio,  que cresceu 20 vezes.

.

2006 | 2011

.

. .   .

.   .

.   .

.   .   .

.  . .

.

Siga o Arquivo Estadão: Twitter  @arquivo_estadaoFacebook/arquivoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Antonio PalocciFeitiço do Tempo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: