Dalai Lama: a volta de um visitante querido

Dalai Lama: a volta de um visitante querido

Lizbeth Batista

15 Setembro 2011 | 08h00

Com Joãozinho Trinta e índio na Eco92. Foto:Carlão Limeira/AE

Suas visitas não atraem grandes multidões como as do papa. Se o número de seguidores não é gigante, a reverência é a mesma. Muitos querem apenas estar perto para sentir um conforto espiritual e partilhar, nem que por pequenos instantes, de seus ensinamentos.  Quando pisar hoje em solo paulistano, o  líder espiritual tibetano Dalai Lama Tenzin Gyatso inicia a sua quarta visita ao Brasil.

Chega para um ciclo de palestras no Anhembi. Participará também de  encontros com líderes religiosos, empresários e membros da comunidade científica. Na sua primeira palestra,  tratará  sobre  meio-ambiente e sustentabilidade.

Preocupação freqüente nas palestras, entrevistas e ensinamentos do Lama, as relações das sociedades com o Planeta em que vivem foram também o principal motivo de sua primeira visita ao País, na conferência ambiental Eco92, há quase 20 anos. Entre as séries de atividades que participou por aqueles dias,  dançou uma música judaica com a cantora Olivia Byington no Parque do Flamengo.

 1992

  1999

 

 2006

Ato ecumênico com Dom Cláudio Hummes  e Henry Sobel.
Foto: Evelson de Freitas/AE

Tenzin Gyatso ascendeu ao posto de líder espiritual budista, com 16 anos de idade e  em meio à ocupação comunista chinesa do Tibet.  O Dalai Lama e a autonomia política da região há muito são assuntos tratados nas páginas do Estado.

Dalai Lama na sua infância e juventude. Foto: AP

Aos 23 anos, durante  viagem à Índia. Foto:AP

1950

O Dalai Lama (esquerda) e  Panchen Lama,  líder espiritual 
pró-comunista reconhecido pelo governo Chinês. Foto: AP

Pesquisa  e texto: Lizbeth Batista

Mais conteúdo sobre:

199219992006Dalai LamaTenzin Gyatso