A guerra do guaraná

A guerra do guaraná

Edmundo Leite

18 Agosto 2011 | 07h02

Um dos refrigerantes mais conhecidos do Brasil comemora 90 anos nesta quinta-feira. O lançamento do então Guaraná Champagne, da Companhia Antarctica Paulista, foi anunciado com uma propaganda publicada na primeira página do Estadão em 18 de agosto de 1921. A campanha começou cinco dias antes e desencadeou uma verdadeira guerra publicitária entre os concorrentes.

A principal reação foi do Guaraná Espumante, que utilizava charges em seus anúncios para provocar o novo rival. Na batalha das páginas, a  Madame Butterfly da famosa ópera, o presidente Epitácio Pessoa que visitava a capital paulista por aqueles dias e o conde Asdrubal do Nascimento, diretor da Antarctica, viraram protagonistas, em meio a textos exaltando as qualidades do produto.

A companhia americana Orange Crush não fabricava guaraná, mas também entrou na briga, destacando as qualidades de sua limonada  e colocando mais lenha na fogueira publicitária: “Acima de todo e qualquer Guaraná. Lemon Crush, o refresco de fama mundial.

13/8/1921

14/8/1921

.

15/8/1921

.

18/08/1921

.

19/08/1921


.

21/8/1921


.


.

26/08/1921

.

28/8/1921

# Veja outras propagandas dos guaranás Antarctica e Espumante no blog Reclames do Estadão