Império Chinês tinha seus dias contados

Império Chinês tinha seus dias contados

Lizbeth Batista

03 de dezembro de 2011 | 09h12

 Domingo, 03 de dezembro de 1911

 O movimento revolucionário ganhava força e a cada dia mais pessoas aderiam à sua causa, enquanto o isolamento do Império tornava-se evidente.

O Estado de S.Paulo, 02/12/1911

Diferentes grupos sociais uniam-se em torno do ideário revolucionário, em 1911. A idéia de uma República Chinesa, livre do julgo imperialistas de potencias ocidentais e orientais atraía diferentes vertentes políticas.

Simpatizantes da causa dos boxers; estudantes; parlamentares e militares adeptos das políticas liberais e modernas da Reforma dos Cem Dias; nacionalistas alinhados ao médico Sun Yat-sen e uma larga parcela da população chinesa que nunca deixou de ver a dinastia Quig como usurpadora do trono real chinês integravam essa nova força política da China.

Nos últimos meses do ano de 1911, a questão não era se o Império cairia, cada dia mais, sua derrocada adquiria caráter de certeza. O que ainda era nebuloso e difícil de prever no destino político da China era: que grupo comandaria a instauração da República? Quem ascenderia ao poder?

O nome de Yuan Shikai começava a ganhar força.

Leia mais sobre a Revolução Nacionalista Chinesa

Pesquisa  e texto: Lizbeth Batista

Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao