José Vasconcellos, o homem espetáculo

José Vasconcellos, o homem espetáculo

rosesaconi

11 Outubro 2011 | 17h50

Quem só o conheceu pelo gago “Rui Barbosa Sa-Silva”, da Escolinha do Professor Raimundo, não tem noção da importância de José Vasconcellos para o humor brasileiro e do tamanho de seu sucesso nos anos 1950 e 1960. Com shows em teatros, programas no rádio e na TV e filmes no cinema, era uma celebridade de primeira grandeza. Naquela época, seu nome era grafado sem o duplo ll: José Vasconcelos.

Na nascente televisão brasileira, foi um dos pioneiros do humor, não se limitando a interpretar com a também escrever programas.  Veiculado em 1952, pela TV-Difusora PRF canal 3, o programa chamava-se A Toca do Zé.

Um de seus maiores sucessos aconteceu em  1959, quando escreveu e atuou na peça teatral Eu sou o Espetáculo,  transformado em disco de enorme vendagem no ano seguinte.

No fim dos anos 60 idealizou um parque temático próprio, nos moldes da Disneylandia, que visitara e o inspirou. A Vasconcelândia acabou não vingando.

Zé continou a fazer aquilo que mais sabia: provocar risos.

Programa de seu espetáculo em 1959

Crítica publicada no Estdão em 31/7/1960
(clique na imagem para ler a íntegra)

“… A critica deve saber reconhecer as suas derrotas. É preciso confessar, lealmente, que o público, desde o inicio, é que estava com a razão. José Vasconcelos é mesmo engraçado, engraçadissimo …”

1966 – “O cachorro do PTB”

Vasconcelândia: sonho não realizado

Candidato bem-humorado em 1989

Apresentação em 1965

Pesquisa e Texto: Rose Saconi e Edmundo Leite
Tratamento de Imagens:
José Brito

Siga o Arquivo Estadão: twitter@arquivo_estadao e facebook/arquivoestadao