Aposentado, Rockefeller prometia dedicar-se ao golfe

Aposentado, Rockefeller prometia dedicar-se ao golfe

Lizbeth Batista

06 de dezembro de 2011 | 08h30

Quarta-feira, 06 de dezembro de 1911

Telegramas vindos de Nova York anunciavam a saída do patriarca da família Rockefeller da presidência da Standard Oil Company.

Responsável pela construção de um dos maiores impérios industriais do mundo, o milionário americano John D. Rockefeller anunciava sua aposentadoria. Sem maiores explicaçõe, em sua declaração revelava apenas “o desejo de consagrar o resto dos seus dias ao jogo de “golf”.

Em 1911, com base na Lei Antitruste americana, a Standard Oil  era acusada de monopólio e de cometer ações abusivas e anti-competitivas.  Foi considerada culpada, em 15 de maio de 1911, pela a Suprema Corte Norte-Americana.

A justiça americana ordenou que a Companhia fosse dividida em 34 novas empresas. Entre elas estão as conhecidas Standard da Califórnia, que se tornou a Chevron, e a Standard de Nova Jersey, que se tornou a Esso, atual Exxon.

John D. Rockefeller , dono de 25 % da Standard quando ela foi dividida, recebeu ações proporcionais  nas novas companhias. Apesar de ter seu poder acionário reduzido em algumas das refinarias, a divisão da Standard provou-se incrivelmente lucrativa- em dez anos o valor combinado dessas empresas quintuplicou-  seu patrimônio pessoal foi estimado em 900 milhões de dólares, em 1921.

A aposentadoria e a prática de golfe revelaram-se muito rentáveis para John.

Leia também:

Há cem anos, petrolífera americana era acusada de financiar rebeldes mexicanos

Dinheiro americano moveria castelos?


Pesquisa  e texto: Lizbeth Batista

Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao