O cliente sempre teve razão

O cliente sempre teve razão

Anna Carolina Papp

15 Março 2012 | 16h26

O consumidor entrou para o calendário de efemérides em 1962 pelas mãos John Kennedy. No dia 15 de março daquele ano, o ex-presidente enviou ao congresso norte-americano uma mensagem sobre os “Direitos do Consumidor”.

Em 1911, usuário reclama de maus-tratos no bonde

No Brasil, a regulamentação específica só veio em 1991 com o Código do Consumidor. Veja “O cliente tem razão”.

Mas antes de todo o aparato legal que conhecemos, o cliente sempre teve razão nas páginas do Estado.

Desde 1910 o jornal dedica espaço ao consumidor.  A seção ” Queixas e Reclamações”  foi publicada pela primeira vez em 21 de abril. A carta que inaugurou a seção reclamava sobre os buracos na rua João Teodoro.

Conheça algumas reclamações centenárias ou quase que ainda parecem ser atuais.

 

Março de 1900, carta enviada e não recebida


1908, leiloeiros enganam o público

1920, desrespeito ao lugar marcado no ingresso do cinema


1920, passageiro retirado do avião sem explicação

Das seções de cartas também já sairam investigações. Em 1911, um leitor denunciava o descaso  com uma  correspondência que só chegou 5 anos depois de enviada. A reclamação gerou uma investigação do jornal  que, mais tarde, desvendou um grupo de corruptos.

Pesquisa e Texto: Rose Saconi, Lizbeth Batista e Carlos Eduardo Entini
Siga o Arquivo Estadão: twitter@estadaoarquivo e facebook/arquivoestadao