Suplemento Literário, páginas que revelam uma época

Suplemento Literário, páginas que revelam uma época

rosesaconi

06 Outubro 2011 | 09h30

Há 55 anos

Publicado pela primeira vez em 6 de outubro de 1956, o Suplemento Literário do Estadão foi um dos marcos da imprensa cultural brasileira. Além de divulgar textos inéditos de grandes nomes da literatura como Carlos Drummond de Andrade e Lygia Fagundes Telles – ou da crítica, como Sábato Magaldi e Villém Fluxer -, o Suplemento soube também divulgar a obra de alguns entre os melhores artistas da época.

Planejada por Antonio Cândido, realizada por Julio de Mesquita Filho e dirigida pelo crítico teatral Décio de Almeida Prado, a publicação não ficou confinada às letras, e destinava um espaço generoso à produção visual.

Preocupado fundamentalmente com a ideia de garantir na imprensa um espaço regular para o debate de ideias e a divulgação de autores novos e consagrados, especialmente os escritores brasileiros, o caderno conseguiu sobreviver até 1967 como uma espécie de corpo estranho no mundo fragmentado e veloz do jornalismo.

Clique nas páginas e leia o suplemento n.1

   

O Suplemento Literário mantinha em seu quadro de colaboradores fixos nomes como Wilson Martins, Paulo Emilio Salles Gomes, Ruy Coelho e Lívio Xavier, autores que se tornaram paradigmas em suas áreas de atuação específicas – a crítica literária, a cinematográfica, a antropologia, etc  Um dos segredos do SL foi fazer de suas páginas ponto de encontro dos maiores talentos de uma geração.

Pesquisa e Texto: Rose Saconi
Tratamento de Imagens:
José Brito

Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e sem comentários | comente